Home >> Notícias >> Saúde mental foi tema de debate durante a II SIPAT da MCO

Saúde mental foi tema de debate durante a II SIPAT da MCO

dscn4562Na tarde da terça-feira, 25 de outubro, psiquiatras e psicólogos estiveram reunidos no auditório da Maternidade Climério de Oliveira (MCO/UFBA) para uma mesa redonda sobre Saúde Mental. A atividade fez parte da programação da II Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT), que teve como objetivo debater a saúde do trabalhador.

O psiquiatra da MCO, André Caribé, fez uma apresentação sobre comportamento suicida. De acordo com ele, em 90% dos casos de suicídio o indivíduo apresentava algum transtorno psiquiátrico. André apontou ainda que outros fatores podem se associar à doença mental e levar uma pessoa a cometer suicídio, como questões sociais, abandono, abusos e outros.

“Para lidarmos com esses casos precisamos entender que cada pessoa tem a sua peculiaridade e precisa de uma atenção diferenciada, os profissionais devem estrar preparados e serem pragmáticos durante o atendimento”, recomenda ele, ressaltando ainda que cerca de 2/3 das pessoas que cometem suicídio avisam com antecedência e que é preciso acompanhar de perto aqueles que já fizeram a tentativa.

 

Transtornos no trabalho

Jenisson Conceição, também psiquiatra da MCO, falou sobre a síndrome de Burnout, um distúrbio psíquico de caráter depressivo, que acomete profissionais que mantém contato constante com outras pessoas no ambiente de trabalho. Segundo ele, os principais indícios da síndrome são a exaustão emocional (sensação de esgotamento), envolvimento pessoal no trabalho, com produção reduzida e sensação de desqualificação, e a despersonalização, quando o indivíduo se distancia das pessoas do trabalho e passa a agir com indiferença.

Para tratar a síndrome é necessário auxílio médico, mas para Jenisson, a melhor maneira de prevenção é que a pessoa cuide de si própria, lembrando de respeitar seus limites. “É importante entender que você não é o seu trabalho e que a saúde física e mental de cada um é de sua própria responsabilidade, além disso é necessário desenvolver estratégias de enfrentamento do estresse, dividindo as dificuldades com a chefia e compartilhando os problemas com colegas de trabalho, família e amigos, por exemplo”, disse.

A mesa redonda contou ainda com a presença da psicóloga Flávia Jôse Alves, que falou sobre saúde mental e trabalho. Segundo ela, dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) apontam que transtornos mentais e comportamentais relacionados ao trabalho ocupam o terceiro lugar entre as causas de afastamento das atividades.

Nesse contexto, o psicólogo Luiz Fernando Calaça falou sobre o programa de saúde mental desenvolvido pela Infraero, empresa na qual trabalha, e os benefícios que o programa trouxe para os trabalhadores e a instituição.

Os debates foram mediados pela médica do trabalho da MCO, Maria Lúcia Rocha que ressaltou a importância da discussão: “É necessário debatermos esses temas, principalmente porque vivemos em uma época onde conversamos pouco e estamos mais atentos ao celular, é preciso prestar atenção nas pessoas ao nosso redor”.

Maria Lúcia ressaltou que a maternidade possui um setor de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho e que está sendo desenvolvido um programa de acompanhamento e prevenção de transtornos mentais para os funcionários da unidade. “Precisamos refletir sobre como o trabalhador tem encarado a carga de trabalho e quais situações podem desencadear um transtorno”, disse.

dscn4625 dscn4600 dscn4594 dscn4585

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*